Dicas para prevenir a celulite

Dr. Fernando Cavendish – Nutricionista
Graduado em Nutrição pela UFRJ – Mestre em Nutrição Humana (UFRJ)
Membro da Soc. Brasileira de Alimentação e Nutrição

O que é?

Conjunto de alterações no tecido conjuntivo subcutâneo com presença de edema. Conhecida como hidrolipodistrofia ou lipodistrofia ginóide

Origem da palavra – LIPO = relativo a gordura

DISTROFIA = demonstra desordem nas trocas metabólicas do tecido

GINÓIDE = gino = mulher , óide = forma de

Ou uma inflamação das células às vezes dolorosas, associadas com alterações da circulação, propiciando modificações no tecido adiposo e cutâneo, causando o efeito “casca de laranja ”.

São muitos os fatores que causam a celulite :

O excesso de estrogênio (hiperestrogenismo) é a principal causa da celulite e por este motivo as mulheres são mais acometidas. Os homens também não estão livres deste mal, porém são atingidos em menor escala.

A celulite também esta relacionada com fatores genéticos, ou decorrentes da obesidade, o sedentarismo, alimentação pro inflamatória rica em frituras e açucares, roupas inadequadas e compressivas que impedem a circulação (ex: calça jeans apertada), alem do fumo e o uso de anticoncepcionais que também são acusados  pelo aparecimento dos nódulos antiestéticos.

A prisão de ventre colabora muito para o aparecimento da celulite, pois  um intestino que não funciona regularmente produzirá mais toxinas e eliminará  menos toxinas, que se  acumularão em nosso organismo afetando o equilíbrio total.

Alem disso a constipação intestinal acaba alterando a microflora intestinal causando a disbiose intestinal que é uma alteração no equilíbrio entre microorganismo benéfico e maléfico.

Sabendo que a celulite é uma inflamação do tecido adiposo cutâneo o tratamento deve se iniciar com a retirada de alimentos ricos em substancias pro inflamatórios, junto com a introdução de uma alimentação balanceada rica em nutrientes antioxidantes e antiinflamatória, aliados a atividade física regula.

Alimentos a serem evitados  na prevenção e no tratamento da celulite

Gordura saturada (carnes, queijos amarelos, biscoitos, sorvetes, manteiga), gordura trans (sorvete, biscoito recheado, salgados de forno, sal refinado, alimentos industrializados, calorias vazias como as dos refrigerantes, balas, sopas de prontas que não trazem nutrientes em sua composição, pão branco, macarrão refinado, arroz branco, açúcar (carboidratos refinados), frituras em geral e bebidas alcoólicas.

Alimentos com potencial alergênico (detectados através da anamnese da pratica ortomolecular) também devem ser evitados por três meses, como os laticínios, chocolate, amendoim, glúten… e depois devem ser reintroduzidos conforme a individualidade bioquímica  de cada um ( deve ser realizado  junto ao seu Nutricionista)

Alimentos e hábitos importantes para a prevenção e tratamento da celulite

  • Brócolis, couve, repolho, folhas verdes escuras, aspargos, alho, cúrcuma, gengibre, manjericão, hortelã, alcachofras alem das ervas e especiarias… Esses alimentos são rico em nutrientes que melhoram a detoxificação hepática fundamental para eliminação  das toxinas acumuladas .
  • Ingestão de 2 litros de água ao dia no inverno ou pode-se  fazer uso dos chás, e consumes.
  • Fazer seis refeições ao dia de três em 3 horas, desjejum, colação, almoço, lanche, ceia.
  • Essa pratica aumenta o metabolismo e ajuda a queimar a  gordura localizada .
  • A água é importante para detoxificaçao hepática, drenagem linfática, e evita a retenção de líquidos.
  • Restringir alimentos ricos em sódio para evitar a retenção de líquidos que pioram o quadro da celulite.
  • Diminuir o percentual de gordura através da atividade física orientada, importante para a melhorar o sistema linfático e circulatório e bem estar geral
  • Comer diariamente frutas e verduras que propiciam ao organismo uma grande variedade de vitaminas, minerais (potássio, cálcio, magnésio, zinco, selênio, entre outros), fitoquímicos (flavonóides) fibras solúveis e insolúveis.
  • Os antioxidantes representados pelas vitaminas A, C e E protegem o organismo neutralizando os radicais livres produzidos pelo nosso organismo.
  • Usar como tempero de saladas os Óleos de semente de uva, macadâmia, linhaça e azeite extra-virgem.
  • Ingerir alimentos ricos em coenzima Q10 como o espinafre, sardinha, brócolis, feijão azuki, abacate, semente de gergelim e oleaginosas que melhoram a atividade mitocondrial importante para geração de energia e para renovação e oxigenação celular.
  • Beber 2 xícaras  ao dia  de Chá verde ou  chá da Flor de hibisco importantes para a  detoxificação hepática
  • Ingerir fibras como aveia, fibra de maracujá, linhaça dourada, gérmen de trigo, cevada, que  tem um papel fundamental na prevenção da celulite e no seu tratamento.  As fibras insolúveis  aumentam o transito intestinal promovendo a retirada de toxinas e restos da putrefação das proteínas do intestino. Já as fibras solúveis têm a sua ação na mucosa intestinal estimulando o crescimento das bactérias benéficas para o nosso  organismo. Alem disso os alimentos ricos em fibras contem fitoquímicos e outros nutrientes fundamentais para o sistema antioxidante do nosso organismo.
  • Antocianidinas presente nas Frutas vermelhas como amora, uva preta, açaí a polpa pura, cereja, framboesa e morango melhoram a permeabilidade dos vasos sangüíneos melhorando a circulação.
  • Cebola que é rica em Quercitina um bioflavonoide importante, pois recupera a vitamina C e E da ação dos radicais livres, alem de melhorar circulação facilitando a drenagem linfática.
  • Colágeno é  rico em Lisina, prolina e glicina aminoácidos importantes para o tratamento da celulite, pois ajudam na firmeza da pele.

    Gorduras saudáveis presentes nas oleaginosas, peixes, abacate, semente de gergelim e azeitonas.
    Omega 3, gordura monoinsaturada, Omega 9 são importante para combater processo inflamatório da celulite

    Alimentos ricos em triptofano como a banana aumentam a serotonina e a saciedade.

  • O broto de trigo é rico em clorofila e é fonte de betacaroteno, vitamina K, acido fólico, cálcio e Ferro, é considerado um grande aliado ao combate da celulite em função das suas propriedades detoxificante.

Propriedades Nutricionais do Maracujá

Propriedades Nutricionais do Maracujá
Dr. Fernando Cavendish – Nutricionista
Graduado em Nutrição pela UFRJ – Mestre em Nutrição Humana (UFRJ)
Membro da Soc. Brasileira de Alimentação e Nutrição

O Maracujá é uma fruta rica em vitamina C , vitaminas do complexo B , vitamina A , ferro, cálcio, fosforo e fibras.

A casca do maracujá , geralmente ignorada pela maioria das pessoas, é riquíssima em propriedades nutricionais funcionais e antioxidante como a pectina e vitaminas e minerais com alto poder desintoxicante.
Sendo assim o maracujá auxilia varias funções orgânicas e reações químicas no nosso organismo, entre elas ele age como:

– A vitamina A age como Protetora da pele e visão função exercida pela ;
– As vitaminas A, C e B favorecem o metabolismo e as reações enzimáticas do organismo como um todo ;
– A Niacina (vitamina B3) é Auxiliadora na síntese de proteína , importante para atletas e pessoas com necessidade de aporte proteico aumentado na dieta;
– Graças a sua riqueza em vitamina C é considerada um potente antioxidante que combate radicais livres, fortalece o sistema imunológico, auxiliando no combate as infecções e aumenta a absorção de minerais como ferro, zinco e magnésio quando consumido perto das grandes refeições.
– Protetor ósseo e tecidos.

A pectina , presente na casca do maracujá , é uma fibra solúvel que atua na redução da absorção de glicose sanguínea , auxiliando em dietas de emagrecimento , diabetes e colesterol.

A farinha de maracujá ou também conhecida como fibra de maracujá foi desenvolvida com a casca do maracuja mais rica em pectina , sendo muito indicada na nutrição funcional para diabetes e dietas de emagrecimento.
Além disto tudo o maracujá contem uma substancia chamada passiflorina que age como calmante . Já as sementes do maracujá são poderosos vermífugos da dieta.
Pode ser consumido puro de colher ou por cima de iogurtes com granola, como sucos , refrescos, gelatinas, sobremesas e também como tempero de salada .

A fruta deve ser mantida em local arejado que não bata sol ou na geladeira

Tudo sobre ovos

Dr. Fernando Cavendish – Nutricionista
Graduado em Nutrição pela UFRJ – Mestre em Nutrição Humana (UFRJ)
Membro da Soc. Brasileira de Alimentação e Nutrição

Quais as propriedades nutricionais do ovo?

A gema tem vários antioxidantes (vitaminas A e E, zinco, ferro, selênio e vanádio), substâncias com o poder de combater o envelhecimento das células; colina, um nutriente que protege a memória e ainda leucina, que evita a perda de massa magra.

O consumo do ovo aumenta os níveis de colesterol?

As novas pesquisas demonstram que o ovo não é o responsável pelo aumento do colesterol, desde que o seu consumo seja moderado. Um ovo contém 200mg de colesterol e a recomendação é de 300mg/dia. Consumido moderadamente (1 unidade por dia) não fará aumentar o colesterol. O excesso de colesterol não está relacionado com a ingestão de ovos apenas, mas sim com uma alimentação inadequada, onde há o consumo exagerado de gorduras saturadas e o baixo consumo de fibras.

Qual a melhor forma de consumir o ovo?

A forma mais saudável é cozido, apresenta 80 Kcal. Cozido por 2 a 3 minutos não perde muito as qualidades nutricionais. O frito pode chegar a 120 Kcal.

Evite consumir o ovo cru ou mal cozido, a gema do ovo crua pode ser uma fonte de bactérias, inclusive a salmonela, que causa diarreia, vômitos.

O ovo já foi considerado um grande vilão, mas hoje fala-se até de dieta do ovo, como é essa dieta?

Esta dieta preza o consumo de 1 ovo por dia no café da manhã. O ovo é fonte de proteína completa, tem o poder de saciar mais rápido e evitar que a fome volte logo. O objetivo desta dieta é que assim você fique com menos fome nas próximas refeições, consuma menos calorias e emagreça.

Para um emagrecimento saudável é fundamental a reeducação alimentar, composta por todos os grupos alimentares com moderação.

E sobre a limpeza, é preciso lavar o ovo?

Para guardar, deve-se manter os ovos dentro da embalagem sem lavá-los, para não retirar a película natural que os protege contra rachaduras. Antes de prepará-los para consumo, no entanto, é recomendado lavá-los, especialmente se contêm sujeiras visíveis, mas apenas com água e uma esponja, não use detergentes e outros produtos de limpeza, isso pode ultrapassar a casca e contaminar o alimento.

Outra dica é não armazenar os ovos na porta da geladeira. Essa região da porta é a parte menos refrigerada, por isso que os ovos colocados neste local duram menos e estragam com mais facilidade.

10 Dicas de Alimentação para o Projeto Verão

Dr. Fernando Cavendish, – Nutricionista
Graduado em Nutrição pela UFRJ – Mestre em Nutrição Humana (UFRJ)
Membro da Soc. Brasileira de Alimentação e Nutrição

Quantas pessoas nesta época do ano não se arrependem de ter feito uma alimentação inadequada ou se perguntam por que não resistiram a doces, massas, bebida alcoólica durante o ano? Acredito que a grande maioria!
Você já pensou no seu Projeto Verão? E o que irá fazer para perder alguns quilinhos que acabou ganhando este ano?

Já vou avisando que milagre não existe para este curto tempo até a estação, mas é possível chegar um pouco mais magro(a) se você, a partir de hoje, colocar estas 10 dicas de alimentação no seu dia.

Aí vão elas:

  1. Faça as três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches intermediários por dia. Não pule as refeições.
  2. Coma em intervalos regulares: O ideal é fazer uma refeição a cada três horas. Se isso não for possível, estabeleça intervalos de no máximo 4 horas entre as refeições.
  3. Beba pelo menos dois litros de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.
  4. Escolha uma dieta pobre em gorduras saturadas e colesterol evitando óleos, frituras, manteiga, banha, carne de porco, carnes gordas, pele do frango, queijos amarelos e leite integral. As gorduras fornecem mais que o dobro de calorias quando comparada com outros alimentos. Uma dieta pobre em gordura irá ajudá-lo a manter um peso saudável.
  5. Use açúcar com moderação. Uma dieta rica em açúcar fornece muitas calorias, poucos nutrientes e podem contribuir para a formação de cárie dental, ganho de peso e outras doenças.
  6. Use sal com moderação para ajudar a diminuir os riscos de pressão alta e retenção hídrica.
  7. Evite refrigerantes, bolos, biscoitos doces e recheados, salgadinhos de pacote e outras guloseimas como regra da alimentação.
  8. Dê preferência aos grãos integrais que contém mais fibras, contribuindo para uma saciedade mais prolongada e mantendo o fluxo de energia mais constante.
  9. Dê preferência às verduras, frutas e legumes in natura, pois fornecem mais vitaminas e minerais.
  10. Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias.

Dicas de Nutrição

Dicas de Nutrição
Dr. Fernando Cavendish, – Nutricionista
Graduado em Nutrição pela UFRJ – Mestre em Nutrição Humana (UFRJ)
Membro da Soc. Brasileira de Alimentação e Nutrição

Recomendações

Comer devagar e mastigar bem os alimentos ajuda o organismo a produzir enzimas que facilitam o processo de digestão. A mastigação correta é aquela que quebra, tritura e reduz a comida em pequenas porções, que facilitam uma melhor absorção dos nutrientes.

Aumentar o fracionamento da dieta, evitando o jejum prolongado sem acompanhamento. Procure controlar a ingestão alimentar, contribuindo assim para o controle de peso, melhora a sensibilidade a insulina, melhorar o perfil lipídico, melhorar o bem-estar geral, comportamento cognitivo, humor.

Ingerir fitoterápicos   (indicados pelo Nutricionista /Médico) quando necessários.

§  Procurar dormir antes das 22:00 e acordar entre 04:00 as 06:00 horas. Crie um ritual para dormir – leituras leves, orar, musica suave. Mantenha um ambiente agradável – muito importante temperatura agradável, pouca luminosidade, naturalmente um bom colchão e um travesseiro adequado, além de poucos barulhos ao redor.

Se for consumir açúcares, consuma com moderação, dar preferência ao açúcar mascavo orgânico, demerara, melado, mel e o adoçante indicado só stévia (planta fitoterápica estevita).

Consumir sal iodado com moderação, podendo variar com sal rosa do himalaia, ou sal da pérsia. Associe os temperos aos condimentos naturais como: colorau, açafrão, cúrcuma, noz moscada, orégano, limão, gengibre, ervas finas, alho, salsa, assim evitará exagerar no consumo de sal.

Consumir mínimo 2,5L /dia de agua mineral, pH alcalino, fracionar este consumo em vários horários durante o dia, como ingerir em jejum, pela manha, antes e nos intervalos das principais refeições.

Excluir consumo de refrigerantes, sucos industrializados e bebidas alcoólicas pois são ricos em açúcar, sódio, conservantes.

Dar preferência em ingerir alimentos orgânicos e naturais, pois assim estará ingerindo alimentos frescos, sem conservantes.

Não consumir carnes fortes e embutidos, toucinho defumado, bacon, isso devido a quantidade de purinas, sódio, corantes e conservantes.

Excluir da alimentação caldos, molhos e temperos prontos industrializados, devido a quantidade de conservantes.

Retire toda a gordura aparente das carnes, a pele do frango, couro dos peixes antes de ir para o preparo. Fazer preparações assadas, cozidas ou grelhadas, evitando as frituras.

Acrescentar fibras na alimentação, como 2 colheres de sopa de farinha de aveia ou linhaça ou amaranto.

Reeducação alimentar antes da cirurgia bariátrica

Dr. Fernando Cavendish, – Nutricionista
Graduado em Nutrição pela UFRJ – Mestre em Nutrição Humana (UFRJ)
Membro da Soc. Brasileira de Alimentação e Nutrição

Antes da realização da cirurgia bariátrica (redução de estômago) é necessário
o paciente seja avaliado por uma equipe multidisciplinar, composta por cirurgião,
endócrino, psiquiatra, psicólogo e nutricionista, sendo preparado para o ato da
cirurgia e principalmente para a adaptação pós cirúrgica.
O papel do nutricionista nesta equipe é de assegurar que o paciente esteja
preparo para as mudanças alimentares e de estilo de vida. É realizada uma
avaliação prévia, para a elaboração do plano alimentar individualizado e adequado à
realidade e necessidade de cada paciente.
O plano alimentar de pré cirurgia bariátrica tem a função de:

Auxiliar na perda de peso pré operatória – Esta perda de peso é
necessária, pois, favorece a diminuição das complicações pós operatórias e tempo
de hospitalização, além de estabilizar a pressão arterial. Esta perda de peso é em
média de 10 % do peso em excesso.

Corrigir as necessidades e carências nutricionais – A grande
maioria dos pacientes obesos apresentam deficiências nutricionais ou necessitam
de correção da alimentação para a melhora saúde. Quando realizada estas
correções antes mesmo da cirurgia, garante-se o não aparecimento de anemia
e/ou desnutrição, disfunções comuns no pós cirúrgico quando não tratados
antecipadamente.

Modificar os hábitos e vícios alimentares – Mudança de hábitos
alimentares não ocorrem de um dia para o outro, necessita-se de dedicação,
disciplina, mudança de pensamentos e consciência corporal. Foca-se na correção
dos erros alimentares mais comuns, como: qualidade da alimentação; redução
do volume de alimentos nas refeições; aumento do número das refeições diárias;
mastigação; ingestão de líquidos e bebida alcoólica; costume de beliscar; tabagismo,
entre outros. Estes maus hábitos devem ser eliminados antes mesmo da realização
da cirurgia, para que não sejam agravantes da recuperação pós cirúrgica e
favoreçam o reganho de peso.

Favorecer uma adaptação à alimentação pós-cirúrgica – A perda de
peso pós cirúrgica será gradativa e poderá ocorrer até 2 anos depois da realização
do procedimento cirurgico. Neste período o ideal é que ocorra a maior perda de
peso possível e de alta qualidade, neste caso, referindo-se a uma grande diminuição
de massa gorda, que deve ser de no mínimo 75% do seu valor total de gordura
corporal.

A reeducação alimentar deve sempre ser associada à atividade física, pois
ela acelera o processo de perda de peso, favorece a maior diminuição de gordura
corporal além do fortalecimento da musculatura.

A reeducação alimentar é um fator imprescindível para o paciente que realizada
a cirurgia bariátrica, tanto para a perda de peso com qualidade assim como a sua
manutenção para o resto da vida.

Princípios de uma boa alimentação

Princípios de uma boa alimentação
Dr. Fernando Cavendish, – Nutricionista
Graduado em Nutrição pela UFRJ – Mestre em Nutrição Humana (UFRJ)
Membro da Soc. Brasileira de Alimentação e Nutrição

 

Uma dieta equilibrada e nutritiva deve ter cinco características:

1) Adequação: A alimentação deve ser apropriada às diferentes fases e condições de vida, às atividades, às circunstâncias fisiológicas e de doenças.

2) Qualidade: Deve conter variedade de alimentos que satisfaça todas as necessidades do corpo. Os alimentos devem ser nutritivos e não apenas conterem calorias vazias.

3) Quantidade: Deve ser suficiente para atender o organismo em todas as suas necessidades.

4) Harmonia: É o equilíbrio entre os nutrientes, em relação á quantidade e qualidade.

5) Variedade: Fornecer uma ampla seleção de alimentos diariamente, pois os alimentos são diferentes, apresentando diferentes nutrientes.

Pirâmide Alimentar

Pirâmide Alimentar é um instrumento, sob a forma gráfica, que tem como objetivo orientar as pessoas para uma dieta mais saudável. É um guia alimentar geral que demonstra como deve ser a alimentação diária para uma população saudável, acima de 2 anos de idade.

Cada parte da pirâmide representa um grupo de alimentos e o número de porções recomendadas diariamente. Na alimentação diária devemos incluir sempre todos os grupos recomendados para garantir os nutrientes que o nosso organismo necessita. Os alimentos que precisam ser consumidos numa quantidade maior estão na base da pirâmide e os que precisam ser consumidos em menor quantidade estão no topo da pirâmide.

Para sabermos o número correto de porções diárias a serem ingeridas de cada grupo de alimentos, é necessário observar as calorias diárias que cada indivíduo necessita.

Portanto, é necessário que o profissional da área de nutrição planeje o programa alimentar, pois este varia conforme sexo, peso, idade, altura e necessidades individuais. Em média, a maioria dos indivíduos necessita de, pelo menos, um número mínimo de porções dentro das variações recomendadas.

Principais nutrientes de cada grupo alimentar:

Pães, arroz, cereais, massas: carboidratos complexos (vitaminas do complexo B e fibras);
Hortaliças e vegetais (vitamina A, vitamina C, folato, ferro, fibras);

Frutas (vitamina A, vitamina C, potássio, folato, ferro, fibras);
Leite, iogurtes e queijos (cálcio, proteína, vitamina A, vitamina D);
Carnes, aves, peixes, ovos, feijão, nozes (ferro, zinco, vitaminas do complexo B, proteínas);
Gorduras, óleos e açúcares (vitamina E, ácidos graxos essenciais, carboidratos, porém são ricos em calorias e devem ser utilizados esporadicamente).

Veja a seguir as porções recomendadas para cada grupo da pirâmide:

Na base da pirâmide, encontramos os alimentos ricos em carboidratos como massas, pães, cereais e arroz. Por estarem no maior grupo, devem ser consumidos em maiores quantidades durante o dia. Em seguida, encontramos o grupo das frutas, verduras e legumes que fornecem vitaminas, minerais e fibras para o nosso corpo.

No terceiro nível da pirâmide, estão os alimentos de fontes de proteínas e minerais como carnes, leguminosas, leite e derivados. No topo da pirâmide estão representados os alimentos que devem ser consumidos com moderação, pois além de calóricos, podem levar á obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes e outras enfermidades. Neste grupo estão os doces, açúcares, óleos e gorduras.